Candidatura ao Programa de Formação-ação 

Assente numa larga experiência em programas semelhantes, o NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda encontra-se a preparar uma candidatura à medida “Qualificação das PME – Formação-ação” do Portugal 2020, que permitirá as empresas da região beneficiar de ações de formação e consultoria empresarial (para empresários e trabalhadores), em diferentes áreas temáticas.

Objetivo

O Programa de Formação-Ação tem como objetivo intensificar a formação dos empresários e gestores para a reorganização e melhoria das capacidades de gestão, assim como dos trabalhadores das empresas apoiadas em temáticas associadas à inovação e à mudança.

Metodologia

Trata-se de uma metodologia que implica a mobilização em alternância das vertentes de formação (em sala) e de consultoria (on the job).

Destinatários

Empresários, Micro e Pequenas empresas, pertencentes aos seguintes CAE - Classificações das Atividades Económicas - Revisão 3:

  • Da secção A à J, com exceção da Divisão 01 e da Divisão 60
  • Da secção L à S, com exceção da Divisão 90 e da Divisão 94

Duração da Intervenção e Formandos

Os projetos poderão ser desenvolvidos entre 2016 e 2018, com uma duração máxima de 24 meses, e de acordo com o seguinte padrão:

A componente de consultoria, independentemente da dimensão da empresa, funcionará sempre nas instalações do estabelecimento da empresa a intervencionar.

Para as microempresas a componente de formação teórica funcionará exclusivamente em regime interempresas, com uma média de 2 formandos por empresa. A consultoria terá uma distribuição de 14 horas para o disgnóstico e definição do plano de ação, de 84 horas para a implementação do plano de ação e de 7 horas para avaliação dos resultados. 

Para as pequenas empresas a componente de formação teórica será ministrada em ambiente intraempresa com uma média de 8 formandos e uma carga de 25 horas e em ambiente interempresa com um máximo de 3 formandos (selecionados a partir da formação intra) e uma carga horária de 75 horas. A componente de consultoria, terá uma distribuição horária de 21 horas para o disgnóstico e definição do plano de ação, de 98 horas para a implementação do plano de ação e de 7 horas para avaliação dos resultados. 

Na temática dirigida exclusivamente a empresários, a formação de cariz teórico será desenvolvida exclusivamente em ambiente interempresa e, desejavelmente, em grupos de 12 formandos cada. Por empresa, apenas poderá participar 1 empresário.

Custos

 A comparticipação privada será de: Micro: até 600€; Pequena: até 900€; Empresário: até 400€.

Condições a Preencher pelas Empresas

  • Ter a situação regularizada face à Segurança Social;
  • Ter a situação regularizada face à Administração Fiscal;
  • Ter o estatuto de PME na aceção da Recomendação nº 2003/361/CE, da Comissão Europeia, de 6 de maio, relativa à definição de micro, pequena e média empresa;
  • Ter a situação regularizada face as entidades pagadoras dos incentivos;
  • Não ser uma empresa em dificuldade, de acordo com a definição prevista no artigo 2.º do Regulamento (UE) n.º 651/2014;
  • Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável;
  • Declarar que não se trata de uma empresa sujeita a uma injunção de recuperação, ainda pendente, na sequência de uma decisão anterior da Comissão que declara um auxílio ilegal e incompatível com o mercado interno, conforme previsto na alínea a) do n.º 4 do artigo 1º do Regulamento (UE) n.º 651/2014, de 16 de junho;
  • Declarar não ter salários em atraso.    

Áreas Temáticas a Abranger

Organização e Gestão

Objetivo geral:

  • Qualificar PME para reforçar a sua competitividade e capacidade de resposta no mercado global. 

Linhas orientadoras: 

  • Pretende-se que as empresas:
  • Introduzam novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho, adequados às características e necessidades dos mercados;
  • Reforçam as suas capacidades de gestão, nas áreas Finanças, Estratégia, Produção e Logística, Marketing Vendas, Recursos Humanos;
  • Desenvolvam projetos de melhoria, com recursos a redesenho e melhorias de Layout, ferramentas de diagnóstico e planeamento;
  • Identifiquem Oportunidades e Riscos para o negócio;
  • Melhorem as capacidades de desenvolvimento e distribuição de produtos, processos e serviços;
  • Implementem ferramentas e sistemas de melhoria contínua;
  • Participem em ações de Benchmarking.

Implementação de Sistemas de Gestão (Qualidade, Ambiente, SST, Inovação ou Outros)

Objetivo geral:

  • Preparar as empresas para a Certificação, segundo referências normativas nacionais e/ ou internacionais.

Linhas orientadoras: 

Pretende-se que as empresas:

  • Aumentar a qualidade dos seus produtos, serviços ou processos de gestão;
  • Reduzir não conformidades (processos, produtos) e ineficiências de funcionamento;
  • Implementar sistemas de gestão, com vista à sua posterior certificação;
  • Implementar referenciais de certificação de produtos e serviços, com obtenção de marcas específicas.

Internacionalização 

Objetivo geral:

  • Apoiar e capacitar as empresas para o processo de exportação.
  • Desenvolver e aplicar novos modelos empresariais para a internacionalização;

Linhas orientadoras: 

Pretende-se que as empresas:

  • Obtenham conhecimentos de oportunidades de negócios em mercados externos;
  • Organizem as suas práticas de gestão e comerciais, a fim de propiciar a prospeção e presença em mercados internacionais;
  • Adquirem conhecimento de marketing internacional;
  • Conheçam instrumentos de gestão específicos para a internacionalização.

Economia digital e Tecnologias de Informação e Comunicação

Objetivo geral:

  • Incluir as tecnologias digitais no quotidiano das empresas;
  • Inovar na forma de comunicar e no aceso à informação dos stakeholders;
  • Reforçar o posicionamento e notoriedade das empresas à escala global;

Linhas orientadoras: 

Pretende-se que as empresas:

  • Desenvolvam ferramentas e plataformas digitais;
  • Adequem os seus modelos de negócios, com vista à inserção da PME na economia digital; 
  • Marquem a sua presença no universo web (site, loja virtual, blog, redes sociais);
  • Introduzam sistemas de informação aplicados a novos métodos de gestão, distribuição e logística.

Eco-eficiência (Eficiência Energética e Utilização Racional de Recursos Naturais)

Objetivo geral:

  • Disseminar os princípios e ecoeficiência e Eco inovação;
  • Promover uma cultura de Responsabilidade Social e Ambiental.
  • Reforçar o posicionamento e notoriedade das empresas à escala global;

Linhas orientadoras: 

Pretende-se que as empresas:

  • Adotam boas práticas na utilização racional de energia e recursos naturais;
  • Incorporam os princípios da eco‐eficiência e sustentabilidade no seu negócio; 
  • Utilizem de forma mais eficiente os recursos, reduzindo e reutilizando os desperdícios;
  • Conheçam o Sistema de Ecogestão e Auditoria (EMAS).
  • Otimizem o recurso a matérias –primas e consolidem economias associadas à redução dos consumos.

Gestão estratégica 

Objetivo geral:

  • Capacitar os empresários em novos modelos de negócio e competências de apoio à gestão e à inovação aberta que estimulem as parcerias e a cooperação empresarial.

Linhas orientadoras: 

  • Pretende-se dotar os empresários de competências-chaves para a modernização das estratégias e dos estilos de liderança, de gestão, de inovação e de cooperação empresarial. Neste sentido, são esperados melhorias visíveis no negócio, em função da aplicação prática de métodos de gestão adequados ao contexto global.

Modelo de intervenção

O Modelo de Intervenção baseia‐se no ciclo PDCA (PLAN ‐ DO ‐ CHECK – ACT), respeitando a ordenação lógica destas etapas e garantindo a constante monitorização do processo:

Diagnóstico e Definição do Plano de Desenvolvimento

  • Recorrendo à atividade de consultoria é efetuado um levantamento da situação da empresa e feita uma avaliação das práticas correntes associadas à área de intervenção do Projeto. Em paralelo, é efetuado um diagnóstico formativo onde são identificadas as necessidades de formação em função da caracterização dos seus Recursos Humanos em termos de qualificações / níveis habilitacionais / competências detidas. Com base nas informações recolhidas é elaborado o Plano de Desenvolvimento onde são identificados os objetivos a alcançar e definidas as medidas de formação e de consultoria (alinhadas com a área de intervenção escolhida) necessárias à concretização do projeto no horizonte temporal definido.

Implementação do Plano de Desenvolvimento

  • São constituídas as equipas de trabalho que, em conjunto com os consultores, implementarão as medidas definidas no Plano de Desenvolvimento definido no diagnóstico. São constituídos os grupos de formação e ministradas as ações formativas definidas no plano.

Avaliação de Resultados/ Melhorias Implementadas

  • São definidos momentos de regulação de execução (avaliação intercalares), para acompanhar e controlar o grau de implementação do projeto. No final do projeto, é feito um balanço do progresso/análise evolutiva da empresa em função do grau de alcance dos objetivos traçados e dos resultados efetivamente alcançados. Os resultados obtidos serão disseminados, permitindo assim uma experiência de partilha entre empresas e impulsionando e motivando a implementação de boas práticas.

 Ficha de Pré-adesão

 

 

 
 
 

Voltar